top of page
Buscar
  • Foto do escritorPsicólogo Raul Ferreira Maldonado

Relacionamento FAMILIAR Abusivo

Olá Pessoal! Vamos falar sobre relacionamento FAMILIAR abusivo? Primeiramente quero fazer um alerta de que devemos SEMPRE estar MUITO atentos às situações de relacionamento abusivo na família, por que por serem comuns nos momentos de criação e desenvolvimento das pessoas, caso não hajam mudanças, elaborações, e tomadas de consciência, essas ações podem se enraizar, e acabar sendo normalizadas e desvalorizadas, dificultando o reconhecimento de relacionamentos abusivos em outros contextos e ainda correm o risco de serem reproduzidas e repassadas, mesmo que involuntariamente!


Vamos lá, nós já conversamos sobre o que caracteriza um relacionamento abusivo e eu já mostrei alguns exemplos a vocês.


Então agora vou contextualizar o que podemos definir como relacionamento abusivo na família como formas de relacionamento NÃO saudável, entre QUALQUER membro da família, sejam parceiros, irmãos, pais, filhos, sobrinhos, netos... não se limitando a nenhum grau de parentesco. Então não existe faixa etária específica, já que se baseia na convivência familiar, pode afetar desde as crianças, até os idosos.


Os relacionamentos abusivos se manifestam da mesma forma de outros contextos, então todo ato de qualquer uma das formas de violência, seja ela física, verbal, moral, psicológica, sexual, financeira; quando há presença de manipulações; quando ocorrem abusos das mais variadas formas; entre outros. Mas além disso tudo, o que eu quero trazer pra vocês é que na família existem algumas particularidades que ocorrem por ser um contexto favorável, como as negligências, visto que existe maior relação de dependência direta, e também incentivos a prática de atos ilícitos, porque em família existem maiores poderes de influência.


Como não podia deixar de fazer vou apresentar exemplos, mas de forma mais ampla, para evitar atribuir papéis e não limitá-los, ok?:


- Os abusos verbais são muito comuns; assim como as humilhações veladas, como em atos constantes de ridicularização e/ ou fazer passar vergonha em diversas situações.


- A negligência é bastante literal, e é a falta de atenção e cuidado a vítima.


- As manipulações e as formas de controle, sejam eles financeiros, sociais, ou emocionais para que os desejos dos abusadores sejam cumpridos são comuns, porém mais difícil de distinguir e identificar no contexto familiar.


Então, a partir de tudo isso, percebemos situações de ataque a liberdade, independência, e individualidade da vítima que favorecem a repetição dos ciclos de abuso, causadores de prejuízo a individuação, a autoestima, aos desejos, ao pensar, e trazem consequências severas às vítimas, como dificuldade em criar e manter laços; e sentimento constante de inadequação, por exemplo, pois mesmo em um ambiente que deveria promover segurança, a vítima não se sente a vontade nem apoiada.

Mas com tudo isso porque ainda é tão difícil abordar, reconhecer e discutir sobre os relacionamentos abusivos quando eles acontecem nesse ambiente?


Um dos fatores presentes é a dificuldade em compreender os nuances entre um relacionamento abusivo e situações de respeito e hierarquia familiar, muitos casos de relacionamento abusivo se mascaram através desses princípios, por isso é preciso cuidar, nos mantermos atentos e refletir sobre como nos sentimos perante as relações, porque em relacionamentos abusivos, a vítima se percebe em constante sofrimento, enquanto o abusador ‘dita as regras’, para além das atribuições do papel que exerce.


Raul, mas e agora?

O relacionamento abusivo normalmente só chega ao fim quando a vítima toma consciência sobre a situação e impõe uma mudança de comportamento ou rompe a relação. Mas isso pode demorar muito para acontecer e é muito difícil que se consiga sair sozinho.


Por isso a primeira coisa que devemos fazer diante de situações de relacionamento abusivo é buscar ou oferecer ajuda! Essa ajuda pode ser desde pessoas de sua confiança que vão te dar suporte e apoio, quanto a ajuda profissional, que vai oferecer auxilio especializado para lidar com a situação e tratar os possíveis prejuízos que esse tipo de relação causa.

Além disso, em casos mais graves que envolvem violência é sempre importante realizar a denúncia legal!


Em breve vou fazer o aprofundamento detalhado sobre as formas de ajudar e buscar ajuda.


Por hora, espero ter ajudado!


Você já conhecia as particularidades desse contexto?


Psicólogo Raul Ferreira Maldonado

CRP - 08/31575



Posts recentes

Ver tudo

Comments

Couldn’t Load Comments
It looks like there was a technical problem. Try reconnecting or refreshing the page.
bottom of page